Pesquisar este blog

ANÚNCIO PUBLIPT

ANÚNCIO PUBLIPT

ANÚNCIO DATAHOSTING

ANÚNCIO DATAHOSTING

PAYEER - Pagamento Eletrônico - Internet

quarta-feira, 1 de junho de 2016

Senador Romário vira a casaca e admite mudar voto no julgamento final do impeachment

Publicado em 31 de Maio de 2016 às 21h







Os senadores Romário e Acir Gurgacz podem virar casaca e trazer de volta Dilma Rousseff. Segundo O Globo, os dois senadores “que votaram pela abertura do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff admitem agora a possibilidade de rever seus votos no julgamento final, que deve ocorrer até setembro.

A virada desses dois votos, caso se concretize e os demais votos se mantivessem, seria suficiente para evitar a cassação definitiva da petista. O Senado abriu o processo de impeachment com o apoio de 55 senadores e, para confirmar essa decisão no julgamento de mérito, são necessários 54 votos”.

Romário não descarta que os novos acontecimentos políticos provocados pelos grampos do ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado, mudem seu voto. O senador do PSB votou pelo afastamento de Dilma, mas diz que “novos fatos” podem influenciar seu voto no julgamento definitivo.

“Meu voto foi pela admissibilidade do impeachment, ou seja, pela continuidade da investigação para que pudéssemos saber se a presidente cometeu ou não crime de responsabilidade. Porém, assim como questões políticas influenciaram muitos votos na primeira votação, todos esses novos fatos políticos irão influenciar também. Meu voto final estará amparado em questões técnicas e no que for melhor para o país ” disse Romário ao GLOBO ontem.

No PSB de Romário, no Senado, cresce a tese em defesa da realização de novas eleições. Esse argumento, de nem Temer nem Dilma, pode ser usado para reverter votos contra Dilma na Casa. Entre os líderes dos partidos aliados de Michel Temer, há uma preocupação com os erros sucessivos e que as crises políticas afetem a votação do impeachment.

Acir Gurgacz assegurou a seu partido, segundo o presidente do PDT, Carlos Lupi, que mudará sua posição e votará contra o impeachment desta vez. Por conta disso, o Diretório Nacional do PDT adiou ontem decisão sobre uma punição disciplinar aos senadores do partido. Ainda de acordo com Lupi, o senador Lasier Martins (PDT-RS) pretende manter seu voto favorável ao afastamento de Dilma.

Procurado, Gurgacz afirmou que ainda não tem posição fechada:
“O que eu coloquei é que a admissibilidade (do impeachment) era uma necessidade, porque a população estava cobrando a discussão. O mérito é outro momento, estamos avaliando. Entendo que não há crime de responsabilidade fiscal por causa das pedaladas (fiscais), mas a questão é mais pela governabilidade, pelo interesse nacional”.













POR FAVOR, CLIQUE NO LINK ABAIXO E VÁ PARA A PÁGINA FONTE:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ANÚNCIO BIDVERTISER 20

ANÚNCIO BIDVERTISER 21

Anúncios AnunciAD 02

Anúncios Clique Banner 04

Anúncios Clique Banner 03

ANÚNCIO BIDVERTISER 22

ANÚNCIO BIDVERTISER 23

Anúncio Imagem Folheados 05

Anúncio Imagem Folheados 08

Anúncio Imagem Folheados12

PROGRAMA DE AFILIADOS IMAGEM FOLHEADOS 06

PROGRAMA DE AFILIADOS IMAGEM FOLHEADOS 12

PROGRAMA DE AFILIADOS IMAGEM FOLHEADOS 18

ANÚNCIO BIDVERTISER 24

ANÚNCIO BIDVERTISER 25

google.com